DIREITOS DE AUTORIA

È proibida a reprodução, cedência, difusão , distribuiçã0, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio eletrónico, mecânico ou fotográfico dos conteúdos aqui publicados, sem o autêntico consentimento prévio e expresso da autora. Excetuam-se desta interdição os usos autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem, com link respetivo, prática usada neste espaço.
~~~~~~
*** Note que em poesia, o 'sujeito poético ou lírico' não tem que ser o 'sujeito autoral', mesmo que o texto expresse a 1ª pessoa do singular.***

Seguidores

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

COMO POR MAGNETISMO ...




 (((((0)))))


  )))))0(((((

Ainda acontece

os meus olhos encontrarem

o teu lindo olhar brilhante,

 como por magnetismo.

Por vezes, procuram apenas

 a nossa perfeita cumplicidade.

Porém, noutras, 

apesar do terno amor explícito

nas minhas estrelas diletas,

ainda fico surpreendida.

Dizes que gostas de me olhar para

bem conheceres o que amas.

Ainda fico encantada, mas é

 deleite que me inquieta.

Ainda tenho em mim jardins

privados que só os revelo

a pessoas muito especiais,

em situações raras.

)(

Oportunamente,

serás convidado de honra.

)))(((

MajoDutra

Pintura de Richard Blunt

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

A GRANDE PROVAÇÃO

 
~~ Matrimónio de amor ~~

 * * * * * * * * * * * *

 
 .*.*.*.*.*.*.

Vivia um puro, vero e doce amor,

Só a ele dedicava a sua vida,

Tinha uma prole terna e estremecida,

Um lar especial e acolhedor.

*

Cumpria o seu dever para dispor

De sustento seguro e na medida

Certa, porém, de súbito vencida,

A Terra soçobrou a profunda dor.

*

 Perdeu o fiel trabalho e em tal desnorte,

De mente perturbada, desolado,

Contou a seu amor, gentil, doce, mas forte.

 *

 Ela lembrou quanto tinha poupado,

Para eles era como um bom suporte!

E para algum amigo em tal estado.

******

MajoDutra

 Pintura de Nicoletta Tomas

sábado, 13 de fevereiro de 2021

~~ A VIAGEM ~~


 



Seus pais uniram-se e ofereceram-lhes a viagem de lua de mel numa ilha do Pacífico.
Foi uma viagem fascinante e maravilhosa! Como crianças  inundaram de alegria e vitalidade a belíssima baía, o areal e visitarsm as ilhas do mesmo arquipélago.

Badmington, passeios de barco ou na beira-mar, eram festejados com claros felizes   
risos e ternos carinhos. Nas horas quentes liam obras  iguais e com ardor, trocavam ideias, saberes e opiniões.
Borboletas graciosas e apaixonadas, rodopiavam na pista e, em noites macias de veludo, dançavam romanticamente  junto do areal, ao som do concerto mágico da música e ondas suaves.
No auge de imensa felicidade, na já saudosa despedida, fizeram a foto das cadeiras vazias que utilizaram e prometeram convictamente voltar.
  
A vida foi dura.
Qual formigas incansáveis tudo fizeram para confortar a sua grande prole. Tinham planeado menos, mas adoravam a grande reunião em redor da mesa.
Felicidade e alegria permaneciam intatas e luminosas.
Por vezes, gostavam de rever as fotos, conjeturando sobre a oportunidade de cumprir 
a inesquecível promessa.
Finalmente chegou a altura. Porém, já não eram as audaciosas, leves e vibrantes mariposas. Resolveram fazer uma viagem bonita , mas mais próxima e oferecer o valor remanescente a um centro de acolhimento de crianças.

A viagem foi encantadora.
Vivenciaram, com surpresa, uma ternura intensa e profunda, delicioso néctar de uma longa vida em comum -- diamante raro lapidado pelo tempo.

MajoDutra
~~ Pintura de Tina O'Brien ~~

    
                                                                                                                                                                                                                                                                             
                                                                                                                                                                                                                                

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

... PRIMEIRO AMOR ...



))))))))O((((((((

((((((((O))))))))

Na praia, mirava o horizonte,

quando o seu pensamento galgou

a longínqua linha aparente

e partiu para um país distante,

recordando o seu primeiro amor:

tão puro, tão terno, tão emocionante!

Muito longe de terem despertado

para uma genuína paixão.

*

Diariamente encontrava

na sala de aula, sobre a sua mesa,

 uma rosa fresca e olorosa.

A vida separou-os,

perdurou a perene incógnita:

como teria sido?

*

Estava um dia de muito calor!

Recordou um certo jardim tropical.

Ao longe, ouvia-se o canto de rolas,

Bailavam no ar fragrâncias de savana,

alegria, curiosidade, pudor, raros

 ósculos tímidos, ternuras juvenis.

*

Doeu-lhe uma súbita solidão!

Dos olhos marejados

rolaram umas pérolas  cristalinas...

*

Acredita que ficou escrito nas estrelas...

*****

MajoDutra

Pintura de Vladimir Volegov

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

... COMO NOS RÍAMOS! ...


* * * * * * * * * * * * * 

 

 Houve um tempo, amiga,

que ríamos por tudo e por nada.

O que nos ríamos e como nos ríamos!

Quanta saudade!

Andávamos sempre juntas:

tu, a loura; eu, a castanha.

Era um riso puro, feliz,

 completo, cristalino.

Que bons tempos!

Era um riso fácil, 

sem nuvens, nem sombras.

Os idosos julgavam-nos patetas.

Os rapazes olhavam desconfiados.

Oh! Quanta saudade!

Ríamos do bizarro, do divertido,

sem troça, por pura graça!

Amiga, quando deixámos de rir?!

Que bons tempos!

Na atualidade, de risos raros, difíceis,

como é agradável recordar

a nossa doce jovial adolescência!

Amiga...

Quanta saudade!

*****

MajoDutra

 Pintura de Vladimir Volegov


... EM  PAUSA ...